Mostrando postagens com marcador redes sociais. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador redes sociais. Mostrar todas as postagens

Comparando Parler com outras redes sociais

Há um cansaço de redes sociais? Já uma década atrás se falava em "certa fadiga" desse tipo de site. E em 2020 o assunto segue em pauta em artigos e documentários como o célebre "O Dilema das Redes", ironicamente exibido pela Netflix (que usaria táticas similares às apontados pela produção para capturar a atenção dos usuários). "Existem apenas duas indústrias que chamam seus clientes de usuários: a de drogas e a de software", diz o professor da Universidade de Yale Edward Tufte durante o documentário. Por vício ou não, o fato é que o número de visualizações das principais redes sociais continua aumentando, como mostram esses gráficos proporcionados por SimilarWeb. Veja também a participação relativa das redes, no gráfico mais abaixo, fornecido por statcounter.






Source: StatCounter Global Stats - Social Media Market Share

Os brasileiros só ficam atrás dos estadunidenses em acessos ao Facebook e Instagram. O Instagram é uma rede social [extremamente] egocêntrica em vários aspectos, inclusive na maneira em que tenta impedir a qualquer custo que seus usuários naveguem para fora dela. A obsessão de seus criadores em aprisionar a atenção de seus usuários chega ao nível de abolir os links nos posts, o que se choca até com o próprio conceito da WWW, que é de um "sistema de documentos (vídeos, sons, textos, imagens) em hipermídia que são interligados na Internet". No Instagram as interligações com a Internet estão eliminadas (a única possível, e deliberadamente fora de mão, é feita através da "bio"). O Facebook não chegou ainda nesse nível, sendo mais criticado por questões de privacidade e principalmente por controlar e decidir (através dos famigerados algorítmos) o que os usuários veem ou não em suas linhas do tempo.
Todo esse prelúdio para chegar à rede social Parler, que se propõe a resolver alguns desses problemas, embora, claro, ainda seja muito cedo para dizer se terá sucesso ou não. Uma das características que a diferenciam do Facebook é justamente o fato de que os posts na linha do tempo dos usuários são apresentados, por padrão, em ordem cronológica (e não, baseada em algoritmos). Além disso, conta com ferramentas de moderação não tão comuns em outras redes. Uma delas permite configurar um filtro de palavras e as ações que serão executadas caso alguém faça comentários utilizado-as, que incluem revisar, negar, banir, silenciar ou proibir o usuário temporariamente. Penso que tal ferramenta pode ser útil para minimizar certo tipos de spam, mas há o risco de que seja utilizada para restringir o debate e radicalizar pontos de vista.


Na seção de sinalização de spam, indicamos que ações serão tomadas, se alguma, caso qualquer comentário seja sinalizado como irritante ou sem propósito um número x de vezes, ou se receber mais sinalizações do que votos positivos. Há filtros (não mostrados na imagem abaixo) para conteúdo sensível e NSFW (não seguro para o trabalho, ou seja "vídeos ou páginas que contenham nudez, sexualidade intensa, profanação, religião, política, violência intensa, e/ou outro assunto potencialmente perturbador, que o espectador pode não querer ser visto olhando em um ambiente público ou formal, incluindo um local de trabalho, escola ou ambiente familiar", segundo definição da Wikipédia.) Finalmente, vemos algumas configurações adicionais de moderação denominadas "Comment Filtration Behavior", mas elas parecem às vezes contraditórias ou se sobrepor as configurações principais; logo é necessário testá-las na prática para entender melhor como realmente funcionam:


Os botões que aparecem abaixo de cada publicação da Parler tem as funções indicadas na imagem seguinte:




Canal no Telegram

Compartilhar

Rede social Yours paga usuários em Bitcoin Cash

Atualização 2020: Yours parece ter sido abandonada!


Assim como Busy, Yours Network é uma rede social baseada na tecnologia blockchain, só que em vez de recompensas em uma moeda própria, Yours usa bitcoin.

Comparação
Na Yours o usuário pode estipular o preço de seu post (e a rede fica com 5% dos eventuais ganhos). Interessantemente, os votos (como se fossem "curtidas" do Facebook) recebidos na plataforma não tem valores dependentes do valor da carteira do usuário: eles valem sempre um valor fixo de, atualmente, alguns centavos, e os pagamentos, assim como na Busy (mas com uma diferença relevante: na Yours, a curadoria não precisa ser feita nos primeiros 30 minutos para ser recompensada), vão para os primeiros curadores e para o criador do post. É possível especificar um valor também para os comentários e enviar gratificação extra para o autor de um post que acharmos muito legal. Yours ainda cobra 10¢ para postar qualquer conteúdo (veja a atualização abaixo). Para quem usa Busy, isso pode parecer estranho ou uma clara desvantagem, já que por lá o post é "grátis". Pode parecer uma desvantagem, e talvez seja! Mas há que se analisar melhor e com calma, já que um dos maiores problemas apontados quanto ao funcionamento da Busy é o do desequilibro de atenção, onde os posts de "grandes cetáceos" ganham muito mais atenção (e portanto, retorno), além da discrepância no poder de voto. Numa situação hipotética, se Shakespeare ou Luis Fernando Veríssimo acabassem de criar, anonimamente, uma conta na Busy, é provável que seus posts "valessem" para o sistema alguns centavos, enquanto uma foto de uma "baleia" (como são chamados os usuários com grande poder de voto dentro da rede social) a banhar-se ao sol poderia ser premiada com o equivalente a centenas de dólares.
Outras diferenças em relação a Busy / Steemit que vale a pena destacar são o fato de a visibilidade (e portanto, o potencial de recompensa) na Yours não ser dependente do cacife do usuário, e de que as publicações na Yours são passíveis de receber recompensas por tempo indeterminado (na Steemit, os posts só podem ser monetizados por 7 dias; após esse período, passam na prática a "pertencer" à blockchain Steem, não podendo sequer ser editados ou excluídos pelo autor).



Atualização importante: Posts na Yours agora são grátis.

Outros dados e observações sobre Yours Network
É uma plataforma ainda mais jovem que Busy, com pouquíssimo conteúdo em português.
As publicações de Yours não podem ser organizadas por hashtags. Por enquanto, o máximo que dá pra fazer é classificar os posts dentro de um limitadíssimo rol de categorias: "geral", "cripto", "ficção", "artes", "ciências", "divertido", "fotos", "adulto" e "meta". Mas já há demandas de usuários para que se incluam pelo menos mais categorias e suporte a falantes de outros idiomas. Não sei dizer em que unidade estão expressos os ganhos e taxas de Yours; mas acho, muito provavelmente, que estejam em dólares, pois seria absurdo pensar que se pagam 10 centavos de bitcoin para postar. Curiosamente, se fala a todo momento de valores e bitcoins no pequeno FAQ da Yours, mas em nenhum momento especificam claramente a unidade. Será que a unidade é, ao invés de dólares, Bitcoin Cash? O próprio fundador de Yours, Ryan X. Charles, publicou um post (veja os artigos recomendados no final deste texto) dizendo que haviam mudado para Bitcoin Cash, mas no FAQ e mesmo na página inicial ainda falam em bitcoin.

Atualização: As informações estão mais claras no site agora. Os valores dos votos, gratificações e comentários estão expressos em dólares americanos. Clicando em "cash" ou simplesmente em sua foto de perfil, se tiver algum saldo, este será exibido tanto em dólares quanto em BCH.

A audiência também é bem menor, como se pode ver no gráfico proporcionado por SimilarWeb, com Yours atingindo 220 mil visitantes em dezembro, contra os quase 35 milhões de Steemit (que desconsidera ainda as visitas através de Busy.org). Por outro lado, Yours tem atualmente um problema quanto à indexação por buscadores; assim que seus engenheiros resolvam essa questão, é provável que o número de visitantes cresça de forma muito expressiva.




Note, finalmente, que há pouquíssima informação na web a respeito da nova rede social (em grande parte devido ao problema de indexação mencionado acima). É provável, inclusive, que você nunca tivesse ouvido falar dela. É o caso? De qualquer jeito, deixe seus comentários e suas impressões.

Talvez queira ler também: Channels, nova plataforma de publicação que remunera criadores de conteúdo | FAQ de Yours em português | Sapien, plataforma de publicação baseada em blockchain que recompensa com criptomoedas | Yours: Why We Chose Bitcoin Cash Over Litecoin | 5 Reasons why I am excited for Yours Network to arrive | Why yours.network is NOT a steemitkiller...

Canal no Telegram

Compartilhar

Apps para interagir com a vizinhança e pessoas próximas

Indicamos alguns dos melhores aplicativos para conectar-se às pessoas e novidades das proximidades. Em cidades e bairros menores, é provável que demore para "trombar" com alguém. Nesse caso, recomenda-se manter instalados o(s) app(s) que mais gostar por pelo menos algumas semanas, colaborando assim com a formação de uma comunidade local de usuários. Confira: Telegram, Firechat, e ICQ.

E se eu não tiver Wi-Fi?, nem dados móveis!, poderei enviar mensagens para meus vizinhos, para o pessoal da minha turma, do meu bairro? A pergunta parece por si só absurda; mas a resposta é que na verdade, sim!: teoricamente é possível continuar se comunicando com apps como estes.

Qual o seu preferido? Conhece algum outro bom aplicativo nessa categoria que não foi listado aqui?: Pode recomendá-lo através do campo de comentários abaixo.

E veja também:
Bairros e cidades no Telegram e Whatsapp

Canal no Telegram

Compartilhar